O ensino semipresencial

A educação, no Brasil, passou uma democratização, nos últimos anos. Foi graças a isso que mais pessoas ingressaram em escolas e universidades, instituições de ensino foram criadas e novas modalidades de estudo também. Hoje, o estudante pode optar por um curso presencial, semipresencial ou a distância.

Cada uma das modalidades atinge pessoas com interesses e realidades diferentes. Discutiremos, a seguir, quando o curso semipresencial é uma boa opção.

O que é a modalidade de ensino semipresencial?

Como o próprio nome diz, o método semipresencial reúne parte das características do presencial e outra do totalmente à distância. Dessa forma, o estudante de graduação ou pós-graduação alterna entre ir à estrutura da instituição de ensino e ficar em sua casa, por exemplo, e estudar por um ambiente virtual.

No curso a distância, os alunos se deslocam para a universidade apenas em casos específicos, como provas e trabalhos. A lista de presença, também, é feita virtualmente. Já os presenciais são a modalidade mais tradicional de estudo, até hoje.

Curiosamente, os cursos semipresenciais foram os últimos a serem criados. Eles surgiram a partir de duas formas bem parecidas. A primeira: de cursos presenciais que passaram a disponibilizar conteúdos online. E a segunda: cursos a distância que necessitaram de um espaço físico.

O Ministério da Educação (MEC) classifica como semipresencial, o curso que oferece no máximo 20% das aulas à distância. Essa é a instituição que valida e certifica todas as universidades e escolas. Então, ao procurar por uma opção, escolha uma reconhecida pelo MEC.

Como funcionam cursos semipresenciais?

Como serão divididas as aulas é critério da universidade, embora o limite de 20% de aulas a distância tenha que ser respeitado.

No caso das aulas online, normalmente, ocorrem transmissões entre os estudantes e professores. O que permite que uma pessoa esteja fora da cidade, por exemplo.

Quando as aulas não são transmitidas, podem ser gravadas. Assim, elas são disponibilizadas para os alunos matriculados e apresentam um prazo para sua conclusão.

Isso também acontece com as tarefas. Diferente das aulas presenciais, os alunos têm controle dos conteúdos a que assistirão, seja a data ou o horário.

O ensino semipresencial funciona para quem?

A primeira justificativa para escolher um curso semipresencial é a solução de uma dúvida. Muitas pessoas têm dificuldade para decidir se ingressam na modalidade presencial ou na a distância. Normalmente, a indecisão acontece por receio de perder as vantagens de cada método. Dessa forma, optar pelo semipresencial pode ser uma boa ideia.

Além disso, a rotina das pessoas influencia bastante na escolha. Filhos, trabalho, outra faculdade, difícil locomoção, ou até mesmo dificuldade financeira são fatores que pesam na hora da escolha.

O ensino semipresencial é, então, sinônimo de flexibilidade. É a alternativa para quem não pode frequentar um curso presencial em sua totalidade, mas não abre mão da aula física.

No entanto, não é fácil. Estudar online requer bastante disciplina e foco. Essas qualidades, se adquiridas durante o curso, farão muita diferença no mercado de trabalho também.

Quer saber mais sobre as vantagens da graduação ou da pós-graduação semipresencial? Acesse nosso site e descubra qual é a melhor maneira para você estudar.